quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Resumo do Brasil agora

* Julgamentos-espetáculos conduzidos debaixo dos holofotes da grande mídia, desrespeitando as vias corretas do direito. Os interesses da mídia nunca foram os da maioria do povo brasileiro. É possível acreditar nas boas intenções da Globo, por exemplo? Juízes que seguem o que a mídia quer estão praticando justiça de verdade?

* Criminalização apenas de um partido político - aquele que quando esteve no poder governou com um olhar mais voltado para os interesses dos pobres e trabalhadores, diminuindo a gravíssima e escandalosa concentração de renda brasileira - enquanto o modus operandi denunciado é na verdade de todo o sistema político nacional desde tempos imemoriais. Seletividade? Militância ideológica do judiciário?


* Crédito a delações premiadas, só de palavras, sem apresentação de provas concretas, de quem já está preso e fragilizado psicologicamente, em troca de benefícios e redução de pena. Aprimoramento dos métodos de tortura? Consultoria internacional? Quais os interesses?


* Vista grossa a malas de dinheiro, a helicópteros carregados de cocaína e a gravações explícitas de cometimento de crimes praticados por políticos ligados ao campo ideológico das elites. Impunidade generalizada entre os que fazem o jogo da mídia e do capital.


* Destruição da imagem da política como caminho para a solução de conflitos junto à opinião pública mediana, abrindo espaço para possíveis aventureiros ou para perspectivas autoritárias de poder, como já demonstraram as experiências da Itália fascista e da Alemanha nazista.


* Este é o quadro grave do Brasil pós-golpe de 2016. Fugir para as montanhas ou manter a esperança?

Nenhum comentário: