domingo, 7 de agosto de 2016

Sobre "fakes" e esperança


Tenho a impressão de que aqui em Taiobeiras há uma fábrica de "fakes" nos porões "elitizados". Gente que tenta desesperadamente passar a ideia de que é ilibada, virtuosa e moralista. Na prática, escondida por detrás dos recursos tecnológicos, e sob anonimato, revela a obscura face degenerada, preconceituosa, racista, ególatra e cínica que a define como criatura humana - e ruge como um celerado infectado pelo vírus da raiva.
Há figuras respeitáveis nessa "elite", pelas quais, mesmo eu discordando das ideias ou da posição política, tenho enorme carinho e consideração. Pena, porém, das figuras pobres, apesar da boa renda e patrimônio. Moralmente, intelectualmente e politicamente pauperizadas e apodrecidas.
A minha esperança é a de que essas figuras do submundo, um dia, cheguem à maturação da civilidade. Apenas isto.

Nenhum comentário: