domingo, 17 de julho de 2016

Romaria dos Mártires da Caminhada 2016

Encerrou-se hoje a edição 2016 da Romaria dos Mártires da Caminhada em Ribeirão Cascalheira, no Mato Grosso, local onde o padre João Bosco Penido Burnier foi assassinado pela polícia durante a Ditadura Militar (outubro de 1976), por defender os direitos dos índios, dos pobres e dos ribeirinhos daquela região.
No dia do atentado contra o padre João Bosco (11/10/1976), ele e Dom Pedro Casaldáliga, bispo de São Félix do Araguaia (MT), foram à cadeia interceder por duas mulheres que estavam sendo torturadas. Na verdade, os policiais queriam matar o bispo Casaldáliga, que foi poupado daquela barbárie porque os algozes o confundiram com o padre João Bosco.
Nos dias seguintes ao martírio, o povo destruiu a cadeia, afugentou os policiais criminosos e, no local, ergueu uma igreja, o Santuário dos Mártires da Caminhada, numa evidente declaração de luta contra a ditadura brasileira.
Durante a Romaria dos Mártires da Caminhada, militantes das comunidades eclesiais de base, das pastorais sociais e dos grupos ligados à teologia da libertação católica meditam e celebram a memória de todos os que deram a vida pela causa da justiça, associando-os à causa de Jesus.
Que o sangue dos mártires da caminhada brasileira e latino-americana, unido ao sangue de Cristo martirizado-ressuscitado, nos anime na luta contra a nova ditadura que ora surge do golpe e na construção de um mundo novo, justo, solidário e fraterno! Venha teu Reino, Jesus!

Nenhum comentário: