quinta-feira, 23 de abril de 2015

Reflexões pascais de 2015

Engraçado! Quando o Papa Francisco fala mensagens reconfortantes, bonitinhas, quase de autoajuda, um monte de gente curte e compartilha. Já quando o mesmo pontífice prega pelo fim da pena de morte e contra a redução da maioridade penal, a maioria dos católicos ignora ou se cala. Seguir Jesus na entrada de Jerusalém, quando povo o recebeu com ramos de oliveira e gritos de "Hosana" é fácil. Quero ver carregar a cruz com ele, debaixo de chicotadas, na sexta-feira da paixão! (3 de abril de 2015)

Segundo a imprensa e na boca dos que a seguem, o Brasil está passando por uma crise econômica violentíssima por culpa da Dilma. No entanto, a mesma imprensa dá a notícia de filas imensas na frente de lojas especializadas que vendem ovos de páscoa de chocolate. Alguns, de até R$ 500,00, já estão esgotados. Que crise é esta, meu povo?! (3 de abril de 2015)

Tem um tipo de cristão que só lê o Levítico e o Deuteronômio: machista, misógino e intolerante. Recomendo uma ou várias leituras bem aprofundadas dos quatro Evangelhos, em especial das partes que tratam do Sermão da Montanha. Aprenda diretamente com Jesus sobre respeito às mulheres, tolerância com os diferentes e capacidade de acolhimento aos que são considerados "pecadores". (3 de abril de 2015)

Apesar de toda a tristeza do sábado santo, que pode ser comparada, em significado e em profundidade, às várias lamúrias e tempestades de nossa vida pessoal, social e coletiva, temos nos ouvidos e na memória a exortação de Jesus: "Não tenham medo"! Sabemos que, assim como o sábado triste deságua na alegria do domingo da Ressurreição Pascal do Cristo, também nossa luta por justiça, dignidade e igualdade se concluirá com a vitória do Reino Definitivo. É só mais um pouco... mais um pouco de tempo histórico... e logo... logo mesmo... vai raiar a Aurora da Páscoa (definitiva)! (4 de abril de 2015)

Nenhum comentário: