quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Razões para votar "Dilma" em 2014

Cada parágrafo é um pequeno texto isolado, escritos anteriormente em minha linha do tempo na rede social Facebook.

1. Antes de Lula e de Dilma na presidência, a miséria, o desemprego e a falta de crédito eram as coisas mais comuns no Brasil. Os mais pobres, quase sempre, estavam condenados a nunca poder mudar de vida. Com Lula e Dilma isto mudou. E ainda pode melhorar muito mais, com a continuação do projeto de Lula e de Dilma. Não deixe que estes avanços se percam!

2. Nesta eleição nós temos dois candidatos a presidente: Dilma, representando os interesses da maioria do povo brasileiro, especialmente dos mais pobres; e o capital financeiro internacional, interessado em se apropriar das riquezas de nosso país.

3. Na história do Brasil, a luta é sempre a mesma: Zumbi contra os escravagistas; Antônio Conselheiro contra os coronéis; Getúlio Vargas contra as oligarquias; JK contra o lacerdismo; João Goulart contra o golpismo civil-militar; Lula contra o neoliberalismo; Dilma contra o pessimismo insuflado pela grande mídia. Um é o lado do povo brasileiro; o outro, dos contrários ao avanço civilizatório de nossa nação.

4. As pessoas que não tem o costume de se informar sobre política fora do tempo das eleições, em geral são facilmente manipulações pelos interesses dos donos dos grandes meios de comunicação (rádio, tv, jornais, revistas, sites). Em primeiro, não se vota em pessoas. Cada candidato a presidente pertence a um grupo de interesses. E isto é natural. No momento de votar, analise sua própria vida. Seus interesses são os dos grandes e poderosos, do capital financeiro internacional, da grande mídia, ou dos trabalhadores ou pequenos empreendedores? Eu voto em Dilma porque vejo que nos governos dela e de Lula, a vida da população humildade melhorou bastante. É isto que eu quero que continue e avance.

5. São praticamente quatro anos de campanha ininterrupta contra Dilma, na grande mídia. Para os meios de comunicação, ligados aos interesses do capital financeiro internacional, nada do que ela faça presta. Analise a sua vida naquilo que é de responsabilidade do governo federal: Bolsa Família, Pronatec, Fies, Enem, Sisu, Pro-Uni, Minha Casa-Minha Vida, Mais Médicos, transposição do São Francisco, taxa de desemprego em queda (enquanto a crise lá fora tira empregos em outros países), e etc. Enfim, você prefere um governo que sacrifica os pobres, como antigamente, ou um que busca reduzir as desigualdades, como Dilma?

6. Como cidadão que não exerce cargo político, eu bem que poderia me conformar ou me alienar, deixando o debate eleitoral para lá. Mas, como tenho responsabilidade não somente comigo, mas também para com minha família e com o meu país, participo, milito, defendo ideias e nomes. Atualmente, voto em Dilma Rousseff para continuar na presidência. Há muito o que se fazer pelo Brasil, mas, no meu entender, o melhor projeto, entre os atuais candidatos, é o da continuidade de Dilma.

7. Meu voto para presidente é de Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo Partido dos Trabalhadores. Nos tempos sombrios em que vivemos, parece uma loucura divulgar e manifestar o voto. Creio no contrário: é uma atitude necessária e de valorização da democracia. Muitas pessoas, algumas bem intencionadas, porém "informadas" sobre política apenas pelos canais tradicionais do cartel midiático brasileiro, não entenderão ou questionarão meu voto e minha posição eleitoral. Por este motivo, por esta rede social Facebook, farei um exercício de "orientação política" a quem desejar seguir. Nas próximas semanas, até a eleição, publicarei pequenos textos debatendo a "situação brasileira" antes e durante os governos do PT. Com respeito pela sua opinião, um grande abraço a você.

8. Nos governos de Lula e Dilma, Taiobeiras recebeu recursos federais como nunca antes em nossa história. Logo, como Taiobeiras não está isolada do restante do país, votar no melhor para Taiobeiras é também votar no que é melhor para o Brasil: a continuidade do projeto de Lula com Dilma presidenta.

9. Ainda tem professor de Minas Gerais que, por inocência ou por ignorância, afirma o seguinte: "Aécio criou a Lei 100 e a Dilma derrubou". É uma loucura: o oprimido fazendo o jogo do opressor! Vamos por os pingos nos "is". A Lei 100, criada por Aécio quando governador de Minas, efetivou professores na rede estadual sem concurso público, ferindo a Constituição Federal. Como era claramente inconstitucional, foi derrubada 7 anos depois no Supremo Tribunal Federal (STF). Ou seja, foi o STF (órgão máximo do Poder Judiciário brasileiro) quem derrubou aquela lei inconstitucional. Nada tem a ver com Dilma (Poder Executivo federal) ou com o PT (partido político). Quem tem de resolver os problemas (caos) gerados pela Lei 100 é o governo estadual de Minas Gerais (aliado de Aécio e dos tucanos). Não entender como funcionam as instituições republicanas - ou pior, fingir que não entende - é uma vergonha para quem trabalha com educação, além de ser uma loucura, pois permite acobertar quem tanto "sacaneou" e "sacaneia" (perdoem-me esta palavra chula) com a nossa classe. Ninguém é obrigado a gostar da Dilma ou do PT, mas que, pelo menos, fale a verdade: Aécio e os tucanos de Minas destruíram a carreira de professor neste estado. Educador masoquista que vote nele e nos seus!

10. Dá um tédio conversar com anti-petistas sectários. Eles parecem estar vivendo ainda na década de 60 do século XX. Olha as prosas: "perigo vermelho", "ameaça comunista", "Cuba", creinDeuspai!   

Um comentário:

Marina Sena disse...

O problema do brasileiro é a falta de patriotismo. Sendo patriotismo não apenas gostar da cultura do seu pais, mas entender suas leis e história, os poderes e quem os representa. Não votando em um candidato só porque ele fez uma propaganda eleitoral mais "bonitinha" que a de outro. A culpa de tudo o que acontece no país para os brasileiros é sempre do presidente, e isso é ignorância.