sábado, 25 de maio de 2013

Uma outra opinião sobre Taiobeiras


Imagem noturna de Taiobeiras - Minas Gerais
Os alunos da turma do 3º ano de 2012, do Centro Educacional Beliza Corrêa, fizeram uma entrevista comigo para publicar num boletim que produziram em junho daquele ano. As perguntas me foram enviadas através do estudante Hiago Volponi. Republico aqui no Blog perguntas e respostas.

Hiago Volponi: O que você acha a respeito da política em Taiobeiras?
Levon Nascimento: É uma política bastante fechada em pequenos grupos de poder e de interesse. A democracia ainda é restrita. Exemplos: As mulheres não ocupam o espaço que deveriam; Os de menor condição financeira nunca têm possibilidade de participar efetivamente, mesmo possuindo boas ideias, pois o custo de fazer política ou de campanha é exorbitante; A população, em geral, ainda não tem uma visão muito consciente do que é política. Ainda há muito clientelismo, venda de voto ou “voto de cabresto” (por simples manipulação de marketing ou por que as pessoas devem seus empregos ou de parentes a algum político). Mas há novidades boas. Tem muita gente que já tomou consciência de que é sujeito político e de que deve lutar pelo bem da comunidade.

HV: Na sua opinião, como está a educação em Taiobeiras?
LN: Não devemos nos conformar quando dizem que Taiobeiras tem a melhor educação ou a melhor saúde do Alto Rio Pardo. Nem sei se isso é verdade. Mas mesmo que seja, devemos nos lembrar de que estamos numa das regiões mais sofridas de Minas e do país. Logo, não é muita vantagem ser o melhor no pior. Mas, respondendo à pergunta, para a educação de Taiobeiras ser melhor são necessárias duas ações, uma interna à própria educação e outra externa. Internamente é preciso melhorar salários e valorização profissional dos educadores, de modo que se sintam mais motivados e em condições de buscar ampliar os conhecimentos (pós-graduação, mestrado, doutorado). Isto em todas as redes de ensino (municipal, estadual e particular). Externamente, é preciso aliar educação com oportunidades econômicas. Falta uma política de investimentos para gerar oportunidades de grande porte. Alguns alunos não valorizam a educação formal porque não conseguem enxergar as oportunidades que poderão ter caso se dediquem aos estudos. Não enxergam porque elas quase não existem em Taiobeiras. De forma imediata, é preocupante a queda que nossas escolas de Ensino Médio tiveram no índice do ENEM de 2011. É preciso reverter essa curva e avançar nas notas, mas com a união de todos, alunos, escolas e famílias.

HV: O que você acha que deve mudar em relação à saúde em nossa cidade?
LN: Primeiramente, a consciência das pessoas. Os cidadãos precisam tomar conhecimento de que aquilo que se consegue na saúde é direito e não favor. Em segundo, um maior investimento em educação e prevenção. Um povo que sabe se cuidar adoece menos e, portanto, demanda menos recursos para questões mais complexas, deixando de sobrecarregar o sistema. Um sistema de saúde menos sobrecarregado poderia atender melhor aos portadores de doenças mais graves. Um exemplo direto de prevenção está em conscientizar para atitudes mais humanizadas e civilizadas no trânsito, de modo a evitar o número de acidentes graves ou fatais. Isso também é saúde.

HV: Em que aspecto Taiobeiras se desenvolveu mais rapidamente?
LN: Nos últimos anos, ao que parece, o setor de construção civil avançou bastante. Creio eu, devido ao bom momento econômico do país, o que favoreceu a compra de material de construção e o financiamento das moradias a longo prazo. A este bom momento do Brasil se somou a grande capacidade de trabalhar e de empreender da maioria dos taiobeirenses, de todas as classes sociais.

HV: O que você acha a respeito dos jovens de Taiobeiras? Qual contribuição eles podem dar para a melhoria da nossa cidade?
LN: Os jovens, de uma maneira geral, costumam ser uma mistura de indefinição com entusiasmo. A juventude de Taiobeiras não é diferente. Porém, os jovens das classes média e alta da cidade têm mais oportunidades para avançar do que os jovens da classe menos favorecida. Embora todos tenham grandes virtudes, entusiasmo e capacidade, infelizmente, as chances e a condição social não são iguais para todos. E isto, infelizmente, impede que talentos sejam despertados. É preciso que as oportunidades sejam iguais para todos os jovens. Toda a juventude pode contribuir para Taiobeiras no momento em que tomar consciência de que a política do cabresto ou do marketing é coisa do passado e que todos são livres para participar e tomar a decisão que bem entender, sem censura.

24 comentários:

Marileide Alves Pinheiro (via Facebook) disse...

Mto interessante. Vale a pena ler. Parabéns!

Rhansley Santos (via Facebook) disse...

Retrata bem a realidade, otimo. Parabéns...

Hiago Moreira Volponi (via Facebook) disse...

Vejam! Muito interessante. Entrevista que fiz com Levon Nascimento.

Hiago Moreira Volponi (via Facebook) disse...

Levon, a pouco tempo atrás lembrei disso quando olhava alguns arquivos no meu computador antigo. Muito bom! Obrigado por postar.

paloma disse...

Muito bom.

Mariana Rodrigues (via Facebook) disse...

Excelente! Essa é a realidade da nossa cidade. Todos deveriam ler essa entrevista!

Rhansley Santos (via Facebook) disse...

Sua entrevista em meu Blog foi a segunda postagem com mais acesso... Sempre dizendo a realidade .

Dheyliane Almeida (via Facebook) disse...

Bela entrevista ! Parabéns !

Luana Tamires Pereira Viana (via Facebook) disse...

Muito interessante Levon! Relato muito bom!! Principalmente com relação aos jovens!!! Parabéns!

Luziene Porto Sarmento (via Facebook) disse...

Mto boa a entrevista! Parabéns!

Edvani Brilhante Martins Brilhante (via Facebook) disse...

parabéns Levon, sabias palavras!

Maria Aguimar (via Facebook) disse...

Parabensssssss!!!!!!!!muito bommmmmmmm

Teo Sena (via Facebook) disse...

Parabéns mto interessante a entrevista.

Bruno Lemos (via Facebook) disse...

Lembro-me desta entrevista! Muito boa...

Ana Andrade (via Facebook) disse...

Excelente!

Lourdes Pinheiro (via Facebook) disse...

Conteúdo muito bom .Admiro a sua visão bastante realista,caro colega.

Anônimo disse...

Opnião de interesse pessoal!! Não reconhece as conquistas realizadas! Colocar a popularidade do governo de Denerval similar ao Coronelismo é vendar os olhos para tudo que aconteceu!!! Claro que tem direito de ser contra, mas seja coerente!!! A popularidade de Denerval chegou a mais de 80% não por conta de interesses pessoais de poucos nao!!! Sei que não vai publicar isso, mas eu tenho certeza que vc tem apenas interesse pessoal politico e nao coletivo como vc dispara!!!

LEVON NASCIMENTO disse...

Engraçado como os "anônimos" vestem a carapuça mesmo quando não são citados!

LEVON NASCIMENTO disse...

E mais engraçado ainda é o fato dos "anônimos" olharem para os outros como se estivessem na frente de um espelho!

Lucimar disse...

Parabéns Levon pela pessoa íntegra que és.

Lucimar disse...

Parabéns pela sua integridade.

Antonio Marcos Viana (via Facebook) disse...

que visão legal,muito bom o artigo ,a entrevista.mostra a grande capacidade de análise

edson rodrigues disse...

Parabéns professor.

Fernando Soares (via Facebook) disse...

Parabens professor Levon na entrevista para o centro educacional Beliza Correia .vc falou muito bem sobre política, saúde, educação, sobre os jovens e do desenvolvimento da nossa cidade