quarta-feira, 1 de maio de 2013

Festa de Maio em Taiobeiras

Igrejinha durante festa de N. Sra. de Fátima (Taiobeiras, 2012)
* Por Marileide Alves Pinheiro.

Cultura, tradição, fé e devoção...

Tudo isso é retratado na 57ª Festa de Maio – “Festa de Nossa Senhora de Fátima” em Taiobeiras - MG. Cidade que fica a 690 km de Belo Horizonte, no extremo Norte/ Vale do Jequitinhonha de Minas Gerais.

Pequena cidade que se destaca em sua região, com pouco mais de 30 mil habitantes tem no seu povo simples, a maioria de religião católica, o espírito da esperança renovada na imagem de Nossa Senhora de Fátima. Como essa imagem é vista pelo o povo de Taiobeiras?

Imagem da Mãe Protetora: “mãe que nos ensina a amar, que nos guia para o caminho da paz, nos liberta de todos os ódios e violência...” (resumo do tema da programação de 2012).

Dizem os mais antigos que essa história começou em 1955 quando Taiobeiras recebeu uma imagem dessa santa que passava de cidade em cidade. Essa era uma missão realizada pelos padres capuchinhos na recém-emancipada cidade de Taiobeiras, que traziam a imagem visitadora de Nossa Senhora de Fátima aos lugares em que exerciam suas pregações evangelizadoras.

Naquela época, a santa ficou pela cidade por alguns dias de visita na igreja local para receber os fiéis. Essas pessoas foram se afeiçoando tanto pela santa que quando chegou o dia da sua partida muitas mulheres, crianças e pessoas idosas ficaram aos prantos pela cidade. Diziam também que pelas ruas por onde passava a procissão de despedida da santa sentia-se o aroma das rosas dentro das casas e esse perfume permaneceu por vários dias e muitos acreditavam que a cidade estava abençoada.

Foi exatamente por isso que Frei Jucundiano de Kok – Foi o frade franciscano e primeiro pároco da Paróquia São Sebastião encomendou uma réplica de Nossa Senhora de Fátima de Portugal para presentear a cidade de Taiobeiras. A mesma chegou aqui setembro de 1956, houve então uma grande recepção na entrada da cidade e desfilaram em um carro de boi pelas ruas. Logo depois a comunidade organiza a primeira Festa de Maio para o ano seguinte.

Em 1957 foi inaugurada a Capela de Nossa senhora de Fátima, carinhosamente denominada de “Igrejinha”. Essa capela que tem o formato octogonal é uma preciosidade, um dos cartões postais de Taiobeiras, lá se tornou a morada da santa e o principal símbolo da Festa de Maio. Fizeram as atividades típicas religiosas durante a novena, celebrações de missas, coroação da imagem de Nossa Senhora de Fátima: crianças vestidas de anjos, procissões, quermesses, barraquinhas de quitandas, leilões...

A “Festa de Maio”, por conta do desenvolvimento e da grande expansão, se tornou uma referência da tradição religiosa e cultural da região. Percebe-se então, que houve muita interferência do interesse comercial. Tiveram a necessidade de se refletir sobre os valores religiosos, decidindo que haveria duas datas de comemoração.

A Festa de Maio: religiosa e tradicional que acontece na 1ª quinzena, até o 2º domingo de maio, comemorando o Dia das Mães.

A Festa de Maio: comercial, intitulada há 09 anos como FERAP – Feira Regional do Alto do Rio Pardo (microrregião do Norte/Vale do Jequitinhonha) realizada no 3º fim de semana – dias 16 a 19 de maio de 2013.

Marileide
Fonte de Pesquisa: Entrevista com pessoas de Taiobeiras; Livro: “TAIOBEIRAS, seus fatos históricos” de Avay Miranda, Volume 02; Professor de história Levon Nascimento, BLOG: http://levontaiobeiras.blogspot.com.br/

Texto de Marileide Alves Pinheiro: Educadora, estudante universitária do curso de Administração Pública - UFVJM, agente cultural, Delegada Estadual de Cultura – II Conferência Nacional de Cultura – Brasília 2010, Membro do Conselho Municipal de Patrimônio Histórico Cultural de Taiobeiras – Representante da Sociedade civil na gestão: 2012 a 2014 e coordenadora do Cineclube: Arte Em Cena – Associação Companhia Teatral Encena em Taiobeiras – MG.

3 comentários:

marileide alves pinheiro disse...

Obrigada, Levon Nascimento!Preservar as nossas tradições e nossos valores são verdadeiramente importantes para a construção da nossa identidade. Parabéns, Taiobeiras!

marileide alves pinheiro disse...

Obrigada pela atenção, Levon Nascimento.
Preservar as nossas tradições e nossos valores são verdadeiramente importantes para a construção da nossa identidade. Parabéns, Taiobeiras!

marileide alves pinheiro disse...

Obrigada! Preservar as nossas tradições e nossos valores são verdadeiramente importantes para a construção da nossa identidade. Parabéns, Taiobeiras!