segunda-feira, 18 de março de 2013

Francisco: reconstrói a Igreja junto aos que sofrem

Aproveitando a deixa do nome do novo Papa, Francisco, aqui destaco o Cântico das Criaturas, de Francisco de Assis, escrito há 800 anos, mesmo assim, ainda urgente e ainda atual. Na versão do poeta católico popular brasileiro, Zé Vicente.




Onipotente e bom senhor
A ti a honra, glória e louvor
Todas as bençãos de ti nos vêm
E todo o povo te diz amém
Louvado sejas nas criaturas
Primeiro o sol lá nas alturas
Clareia o dia, grande esplendor
Radiante imagem de ti, Senhor

Louvado sejas, pela irmã lua
No céu criaste, é obra tua
Pelas estrelas, claras e belas
Tu és a fonte do brilho delas


Louvado sejas pelo irmão vento
E pelas nuvens, o ar e o tempo
E pela chuva que cai no chão
Nos dás sustento, Deus da criação
Louvado sejas, meu bom Senhor
Pela irmã água e seu valor
Preciosa e casta, humilde e boa
Se corre, um canto, a ti entoa

Louvado sejas, ó meu Senhor
Pelo irmão fogo e seu calor
Clareia a noite, robusto e forte
Belo e alegre, bendita sorte

Sejas louvado, pela irmã terra
Mãe que sustenta e nos governa
Produz os frutos, nos dá o pão
Com flores e ervas sorri o chão

Louvado sejas, ó meu Senhor
Pelas pessoas que em teu amor
Perdoam, sofrem tribulação
Felicidade em ti encontrarão

Louvado sejas, pela irmã morte
Que vem a todos, ao fraco e ao forte
Feliz aquele que em ti amar
A morte eterna não o matará

Bem-aventurado quem guarda a paz
Pois o Altíssimo satisfaz
Vamos louvar e agradecer
Com humildade ao Senhor bendizer

Nenhum comentário: