sábado, 23 de fevereiro de 2013

Especial Igreja: A renúncia de Ratzinger

Por Antônio Mesquita Galvão. Adital.

Em tempos delicados em que há uma imperiosa necessidade de reflexão, oração e interiorização, partilho este texto com meus amigos e minhas amigas.

Com a inesperada renúncia do papa Ratzinger, espera-se que o Espírito Santo volte a soprar sobre a nossa Igreja. De fato, depois de séculos de autoritarismo e opressão por parte das cortes vaticanas e seus prepostos sobre o povo de Deus, todos anseiam que o bom senso volte a imperar na Igreja de Cristo, substituindo a pompa pela simplicidade, a arrogância pelo diálogo, a perseguição pela acolhida e a vaidade pelo verdadeiro espírito do Ressuscitado.

Em uma profecia exarada em 1993 o célebre teólogo-moralista Bernhard Häring († 1998) preconizou as seis prioridades que deveriam ser implantadas na Igreja:

1.Abolir os títulos eclesiásticos que não tenham suporte bíblico; 2.Cancelar as púrpuras cardinalícias:
3. Eliminar o corpo diplomático da Santa Sé;
4. Proibir chamar o papa de "santidade”, os cardeais de "eminência”, os bispos de "excelência” e os padres de "reverendo”;
5. Dar às mulheres os mesmos direitos que os homens, inclusive o acesso ao sacerdócio ministerial;
6. Fazer que o papa seja também discípulo de único Mestre, Cristo.


Que os novos ares de atualização e libertação, sonhados por João XXIII se tornem agora verdade e realidade para o bem de todo o povo de Deus.

[O autor é Teólogo leigo, doutor em Teologia Moral].

Nenhum comentário: