sábado, 23 de fevereiro de 2013

Especial Igreja: Quero um papa do sul

Selvino Heck. Assessor Especial da Secretaria Geral da Presidência da República. Adital.

Quero um papa do Sul, de preferência uma mulher. Mas como sei que é impossível agora, desta vez, mesmo que as mulheres estejam ocupando cada vez mais todos os espaços na sociedade e no mundo, vou enumerando tudo o quero e sonho com o papa a ser eleito nos próximos meses.


Quero um papa do Sul para olhar para os pobres e trabalhadores/as e dizer: Vinde a mim, os pequeninos, porque de vocês é o Reino dos Céus.

Quero um papa do Sul para olhar os continentes historicamente subjugados, inclusive pela Igreja católica, tratados apenas como terras a serem conquistadas e catequizadas e não como espaços de liberdade e construção de povos e nações.

Quero um papa do Sul para olhar indígenas, negros/as, quilombolas, catadores/as de material recicláveis, população em situação de rua e todos os oprimidos como sujeitos de direitos.

Quero um papa do Sul para olhar com outro olhar, tal como Jesus olhou e abençoou a samaritana, as mulheres, os homossexuais, todas e todos aqueles sempre desprezadas/os e jogadas/os à margem.

Quero um papa do Sul para acompanhar o 9º Encontro Nacional do Movimento Fé e Política, em Brasília, 15, 16 e 17 de novembro de 2013, com o tema Cultura do Bem Viver: partilha e poder.

Quero um papa do Sul para abrir-se a temas como o aborto, casamento de gays e lésbicas, saber e dizer que todos e todas, mulheres e homens, são filhas e filhos de Deus e merecem sua bênção, compreensão e amor.

Quero um papa do Sul para estar entre os jovens no Encontro Nacional da Pastoral da Juventude Rural (PJR) em 2012 e da Pastoral da Juventude do Meio Popular (PJMP) em 2013, e ver que os/as jovens cristãos/as do campo e da periferia mantêm os sonhos e a esperança, além da caridade e da fé.

Quero um papa do Sul para lutar pelos direitos das pessoas com deficiência.

Quero um papa do Sul para estar nas Romarias da Terra, como a que se realizou em Bento Gonçalves, Rio Grande do Sul, na terça de carnaval com o tema Terra: Vida e Cidadania e o lema: Terra é Cidadania: princípios de um Bem Viver.

Quero um papa do Sul para abrir caminhos para as mulheres na Igreja, e que elas sejam leigas atuantes, e possam ser sacerdotisas, cheguem ao magistério episcopal e, porque não, ao papado.

Quero um papa do Sul para que cada um e cada uma, como fiéis cristãos/as e leigos/as que queiram, possam aderir à Teologia da Libertação, sem medo e sem perseguições.

Quero um papa do Sul para que o cristianismo retome as raízes das comunidades dos primeiros cristãos, onde a assembleia dos fiéis tinha um só coração e uma só alma e ninguém considerava como seu o que possuía e colocavam em comum tudo o que tinham.

Quero um papa do Sul para que bispos tirem as mitras da cabeça, as vestes de ouro do corpo e a sua força esteja no seu ministério, no amor ao próximo e não na roupa suntuosa que vestem.

Quero um papa do Sul para que o poder na Igreja seja partilhado.

Quero um papa do Sul que assuma a 5ª Semana Social da Igreja da CNBB com o tema A participação da sociedade no processo de democratização do Estado – Estado para que e para quem? , e o aplique também à Igreja católica.

Quero um papa do Sul pra que não se fale mais de pedofilia na Igreja, sem que nada seja feito, nada aconteça, para que não se fale mais de corrupção e ninguém sendo condenado, e se acabem com as mil hipocrisias como as do celibato de muitos padres.

Quero um papa do Sul esperando que todos e todas queiram a mesma coisa, um papa do Sul, a notícia se espalhe e todo povo de Deus reze e se manifeste para que aconteça neste momento da história, ou um dia.

Quero um papa do Sul para que ele esteja nas comunidades de fé como pastor e proclamador da boa nova da justiça e da fraternidade, como as Comunidades Eclesiais de Base (CEBS), que vão realizar em janeiro de 2014 seu 13º Encontro Nacional na diocese do Crato, Ceará, com o tema Justiça e Profecia a Serviço da Vida – CEBs, Romeiras do Reino no Campo e na Cidade.

Quero um papa do Sul para que veja e trate o sexo como vida, prazer e fonte de juventude e alegria.

Quero um papa do Sul louvando a Campanha da Fraternidade/2013, compreendendo os jovens de hoje, como diz o hino da Campanha, como profetas em tempos de mudança.

Quero um papa do Sul, mesmo sabendo que poderá ser mais um conservador, porque sei que a pressão vinda de baixo acabará sendo benéfica e seu olhar de Sul acolherá o novo e a profecia.

Quero um papa do Sul capaz de dialogar com todas as igrejas e religiões, de judeus e muçulmanos, evangélicos e macumbeiros, budistas e espíritas.

Quero um papa do Sul amigo dos povos e nações, de chineses e palestinos, cubanos e vietnamitas, eslavos e indígenas, moçambicanos e neozelandeses.

Quero um papa do Sul compreendendo os novos ventos que sopram na América do Sul e América Latina, os movimentos sociais e governos democráticos e populares da região.

Quero um papa do Sul que seja humano, não um quase Deus longe do povo, da vida e do testemunho dos fiéis e da realidade vivida por cristãos e comunidades.

Estou querendo muito? É sonho? Um dia, se não agora, irá acontecer. E em algum tempo da história, será uma mulher.

[Cristão leigo, membro do Movimento Nacional Fé e Política. Em quinze de fevereiro de dois mil e treze].

Nenhum comentário: