quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Artigo do Levon: Isalino, Elvira e a juventude

* Publicado na versão impressa do Jornal Folha Regional, página 3, ano IX, nº 194, janeiro de 2012.

Quem viu nas redes sociais, em especial no Facebook, a repercussão positiva das comemorações dos cem anos de idade de Elvira e Isalino Miranda e dos oitenta anos do matrimônio dos dois, percebeu a quantidade de compartilhamentos, cliques no botão “curtir” e comentários elogiosos partindo de adolescentes e jovens que valorizaram o bonito exemplo de vida do centenário casal taiobeirense, e promoveram com entusiasmo a divulgação de sua duradoura e estável união conjugal.

Essa ação da juventude “conectada” despertou curiosidade por felizmente ir contra uma realidade atormentadora. Atualmente se vive numa sociedade consumista onde o idoso é tratado de forma negativa, desrespeitosa e até violenta. A estabilidade da família, especialmente entre duas pessoas vivendo juntas por um longo período, como a relação do casal Isalino e Elvira, deixou de ser um objetivo de vida para muita gente. Nas relações de casal, ficou comum seguir a mesma lógica que o mercado definiu para as mercadorias: “comprar, usar e, por fim, trocar”, sacramentando o rito das relações descartáveis.

Ainda que em parte justificado pela cobertura da mídia local e nacional (Fantástico, da Globo), foi diferente e estimulador ver tanta gente nova valorizando um casal de idosos, conhecendo suas vidas e experiências e aclamando o fato de estarem juntos – “e felizes”, como disse o Maurício Kubrusly – há oitenta anos. Derrotando os maus modos da sociedade descartável e fútil, os jovens demonstraram sensibilidade, carinho e respeito. Puseram-se abertos e dinâmicos para compreender e promover as boas coisas da vida. Sinal de que nem tudo é sombra no futuro que aguarda o mundo de hoje.

Esses sinais de benevolência da juventude que se encantou com Isalino e Elvira destroem a amargura das notícias trágicas. Do tipo em que netos ou filhos deixam seus idosos jogados à própria sorte, ou quando exploram suas aposentadorias ou seus serviços. Pior ainda, quando parentes mais novos matam os mais velhos (pais, avós) por conta das drogas ou de dinheiro, como em exemplo bem recente e próximo da realidade de Taiobeiras e do Brasil.

Nos passos dessa esperança é possível criar canais produtivos entre os mais novos e os idosos. Esperança numa juventude sensível, capaz de se abrir às experiências de quem já viveu mais tempo. Juventude que mire nos sinais de firmeza e solidez das relações humanas e identifique nelas os valores essenciais escondidos nas histórias simples dos seus entes mais velhos. Depende das famílias e da sociedade saber cultivar essa juventude.

O centenário de nascimento e o octogésimo aniversário de casamento de Elvira e Isalino Miranda serviram para demonstrar às gerações iniciantes que é possível viver bem, feliz e com solidez de valores por toda uma vida. O casal exibiu raro e precioso exemplo de valorização da dignidade inerente à pessoa humana que, via de regra, deveria se estender a todas as famílias e a cada indivíduo, em especial.

Há esperança de um mundo melhor.

3 comentários:

Léia Márcia disse...

Para se falar sobre o jovem de hoje é muito difícil falo por experiência própria pois estamos na época tecnológica e capitalista . Tecnológica no sentido de que até os encontros passaram a acontecer através da internet, fazendo com que o tempo para o diálogo familiar torne-se secundário. Uma boa leitura passou a ser substituída pela navegação incessante pelo sites e bate-papos eletrônicos. Não que a tecnologia não nos seja útil, mas ela está modificando as relações entre as pessoas. Além disso, reforça o pensamento capitalista, no sentido de o jovem passar a ter mais valor pelo que tem e não pelo que é. Então estamos cada dia mais distante de viver o exemplo que o Sr. Isalino e D. Elvira tem mostrado. Mas devemos orar sempre para que o senhor ajude a cada adolescente e jovem a vencer e a superar todos os obstáculos interiores e exteriores que estão diante da visão de cada um e de a visão águia para ver muito além dos olhos naturais.

Anônimo disse...

Acredite na juventude,vai valer a pena!!!!

Anônimo disse...

O jovem é o futuro,vale a pena tentar entende-lo,pode ser uma caminhada longa e exaustiva,mas também pode ser realizadora e surpreendente,é só tentar!!!