sexta-feira, 1 de abril de 2011

Aprovação inicial do Governo Dilma supera as de Lula e FHC


BRASÍLIA (Reuters) - O governo Dilma Rousseff registrou no início de sua gestão uma taxa de aprovação superior às obtidas pelos presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso no começo de seus mandatos, mostrou pesquisa divulgada nesta sexta-feira. A sondagem realizada pelo Ibope por encomenda da Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostrou o governo Dilma com avaliação ótima ou boa para 56 por cento dos entrevistados em março. Já 27 por cento veem como regular o governo Dilma e outros 5 por cento o avaliam como ruim ou péssimo.

Em março de 2003, o governo Lula tinha 51 por cento de avaliação positiva e quatro anos depois essa aprovação era de 49 por cento. No caso de Fernando Henrique, no início de seu primeiro, em março de 1995, o Ibope verificou 41 por cento de avaliação ótima ou boa, proporção que caiu para 22 por cento quatro ano depois. Para o gerente-executivo de Pesquisa, Avaliação e Desenvolvimento da CNI, Renato da Fonseca, o desempenho da economia e a herança da popularidade do governo Lula ajudam na boa avaliação do governo Dilma. "A boa avaliação do governo Lula acaba passando para o governo Dilma", disse.

A aprovação pessoal de Dilma chegou a 73 por cento, segundo o levantamento, contra 12 por cento dos entrevistados a desaprovam, enquanto 14 por cento disseram não saber ou não responderam.

O Ibope também pediu que os entrevistados comparassem o governo Dilma com o de seu antecessor e padrinho político. Para 64 por cento dos ouvidos pelo Ibope os dois governos são iguais, ao mesmo tempo que 13 por cento avaliam a administração da presidente como pior e 12 por cento a consideram melhor. Pesquisa CNI/Ibope realizada em dezembro, antes de Dilma assumir, mostrou que 62 por cento dos entrevistados na ocasião tinham expectativa de que o governo da petista seria ótimo ou bom. Mostrou ainda aprovação de 80 por cento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O levantamento divulgado nesta sexta mostrou também que 44 por cento dos entrevistados afirmaram que o combate à inflação deve ter prioridade igual a outras políticas do governo, enquanto 40 por cento avaliaram que deve receber prioridade maior. Segundo a pesquisa, 48 por cento aprovam as medidas do governo para combater a elevação dos preços, enquanto 42 por cento a desaprova. A política de juros do governo tem 43 por cento de aprovação e exatamente o mesmo percentual de desaprovação. Levantamento do Datafolha divulgado no dia 20 de março apontou avaliação positiva do governo de 47 por cento.

O Ibope entrevistou 2.002 pessoas em 141 municípios entre os dias 20 e 23 de março. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais.

Nenhum comentário: