terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Artigo do Levon: O ano que começa...

O ano novo chegou trágico em Taiobeiras. A morte de cinco cidadãos de nossa cidade em um acidente de trânsito na BR-251, em pleno dia três de janeiro de 2011, colocou em pauta não somente a dor da perda, mas também o valor da vida humana e as questões prático-políticas que demandam maior atenção da sociedade.

Aprendemos com a tragédia o quão frágeis somos diante daquilo que nós mesmos criamos. Rodovias e máquinas automotoras deveriam estar ao nosso serviço. De modo algum poderiam se transformar em nossos carrascos a nos conduzirem à fatalidade e à destruição material.

Amargamente, com as perdas, nos vimos diante da pequenez de nossa condição humana. Nossos planos se esvaem em segundos, diante da brutalidade do acaso da física (ou da conjuntura humanamente criada). Amigos e parentes nos são tirados num piscar de olhos. Nossas crenças são desafiadas. Nossos corações dilacerados. Mais do que nunca, nossa esperança é testada e compelida a avançar.

Do ponto de vista social e político, é preciso agir no campo humano para tentar evitar que o acaso (ou o contexto) tripudie de nós outra vez. A sociedade precisa se organizar. Ela tem de exigir a quem de direito que providências sejam tomadas, de modo a alcançar maior segurança em nossas estradas. A bandeira pela duplicação da BR-251 se ergueu. Não pode ser baixada pelo esquecimento ou pela falta de memória histórica. Não pode ser tomada em vão por oportunistas e estratégicas confabulações de manutenção do poder político “de sempre” e em plantão contínuo. Deve fazer parte das preocupações amorosas de cada pessoa de boa vontade.

Aos parentes, os que mais sofreram (e sofrem ainda) com a perda sem explicação plausível às nossas mentes e corações limitados pela humanidade, que recebam o carinho de todos nós, igualmente frágeis e irmanados na condição de pequenos seres que povoamos este imenso “universo” chamado Terra. E, ainda assim, que este ano de 2011 seja para nós um tempo de esperança no que há de vir.

Publicado no Jornal Folha Regional, página 3, ano VIII, edição n. 176, janeiro de 2011.

Um comentário:

Bruna Sena disse...

Sem dúvida, as crenças são desafiadas, principalmente as dos "mornos". Presenciei isso repetidamente com esse acontecimento. Ao mesmo tempo, existem aquelas que se reavivam diante de tanta tragédia.

O Conselho da Juventude estará colocando esse assunto em pauta na próxima reunião ordinária, com o objetivo de traçar alguma mobilização acerca da segurança nas estradas.

Estamos contando com as parcerias e incentivos...