domingo, 10 de outubro de 2010

Católicos: a missão em outubro é continuar na luta pela justiça social

Neste domingo, 10 de outubro de 2010, a convite do Carlos Gomes Cardoso, que faz parte da Coordenação da Comunidade Católica de Nova Matrona (Paróquia Santo Antônio de Salinas-MG) estive participando da Santa Missa na Igreja de Nova Matrona. Ao final, fui chamado a proferir uma breve palestra sobre a Declaração que a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) divulgou sobre o momento político atual, bem como sobre a responsabilidade dos leigos em não permitir a instrumentalização partidária da Igreja.

Na minha fala destaquei o seguinte:

1. A Igreja Católica oficialmente é apartidária. Todos os que, em nome da instituição católica, estão indicando o candidato em quem votar ou dizendo para não votar em determinado candidato, agem de forma contrária à orientação da Presidência e da Assembleia Geral da CNBB;

No momento de minha palestra na Igreja de Nova Matrona
2. A Igreja Católica defende a vida por inteiro e não reduz a defesa desta somente à questão do aborto, mas também à inclusão social dos excluídos, à promoção humana, aos direitos do cidadão, ao combate à fome, à distribuição de renda entre os mais pobres e à construção de uma sociedade justa, democrática e solidária. Os maiores ícones desta posição profética da Igreja no Brasil foram Dom Helder Câmara, Dom Luciano Mendes de Almeida e Dom Aloísio Lorscheider;
Pessoas presentes à Igreja em Nova Matrona
3. É preciso enxergar os candidatos como seres humanos, passíveis de erros e contradições humanas, pois são humanos. Só Jesus é "caminho, verdade e vida". Portanto, é necessário não divulgar mentiras ou calúnias a respeito dos candidatos, buscar conhecer toda a verdade e os interesses obscuros por detrás da recomendação ou não recomendação de qualquer uma das candidaturas;

4. Os católicos devem estar vigilantes para não permitir que a Igreja seja instrumentalizada por um partido ou campanha, nem por um único tema (no caso, o aborto), infantilizando ou restringindo o debate da campanha eleitoral, apequenando a visão do eleitor sobre os demais importantes temas da vida nacional (emprego, segurança, distribuição de renda, combate à pobreza, gerenciamento dos recursos naturais e enérgicos da nação, dentre outros);

Outro ângulo da Igreja de Nova Matrona
5. Cada cristão/católico, do ponto de vista pessoal, em seu próprio nome, sem instrumentalizar a instituição católica, deve votar com consciência, buscando não deixar-se manipular por quaisquer pessoas, especialmente aquelas que representam interesses de conservação do status quo das elites, de manipulação por parte da grande mídia ou de segmentos conservadores e fundamentalistas da religião.

Espero, com esta minha atitude, estar servindo de estímulo e exempo para que outros cristãos/católicos façam o mesmo em suas comunidades/paróquias ou em outros espaços a que forem chamados em missão (especialmente neste mês missionário de outubro). Nossa missão, neste tempo, é a de impedir que o Povo brasileiro caia nos braços da desigualdade brutal da distribuição da renda ou nas mãos do desemprego, da miséria e da opressão. Mas, claro, uma vez dentro da instituição católica, fazendo o povo pensar e refletir, sem expor lá nossas preferências partidárias.

Nossas preferências partidárias vamos expô-las nos lugares adequados para tal, como nos blogues, por exemplo. O espaço da Igreja é de refexão, não de campanha eleitoral para quem quer que seja.

Um comentário:

Anônimo disse...

Levon

Também acho que os católicos (leigos, religiosos, padres e bispos) que estão comprometidos com a verdade e a justiça devem reunir o povo e desmentir esta onda de boatos e esta tentativa vergonhosa de usar a religião católica a favor do neoliberalismo de José Serra.

Esta situação me causa vergonha. Mas tenho consciência de que a maioria dos católicos vai rejeitar a hipocrisia dos que se esquecem de que a defesa da vida não diz respeito somente a ser contra o aborto, mas também ao emprego, à justiça social e a tudo quando eleve e promova a dignidade humana.

Parabéns pela sua coragem.

Juracy - Montes Claros (MG)