sábado, 25 de setembro de 2010

Sou católico e voto em Dilma

* Levon do Nascimento

"Para a Glória do Senhor estampada no rosto do Povo Livre."

Sou católico. Comungo com a fé de Jesus Cristo e com seu Evangelho libertador. Creio no Pai, no Filho e no Espírito Santo. Fui batizado aos três meses de idade. Comunguei pela primeira vez em 1988. Fui crismado. Procuro sempre o sacramento da confissão. Casei-me segundo os preceitos do sagrado matrimônio cristão. Participo da Santa Missa e exerço minha vocação de leigo no mundo.

O Cristo em ceia com todos os povos
Nada disso me faz melhor do que qualquer outro ser humano, irmão e irmã, filho e filha muito amado pelo Criador. Pelo contrário, todos estes sacramentos e crenças católicas me impõem uma reponsabilidade muito maior. Responsabilidade com a construção do Reino de Deus, eterno e transcendente, para todos. Responsabilidade com o tempo presente, com os pobres, com os que sofrem, com os que são oprimidos e humilhados.

O cristianismo é uma religião para se viver em comunidade, olhando o tempo presente, transformando o mundo pelo poder do amor, pelo exercício da tolerância e da misericórdia, pela fraternidade explicita emanada da Cruz do Ressuscitado.

Por ser cristão-católico, voto no Projeto Político iniciado por Lula, que reduz as diferenças sociais entre as pessoas. Projeto Político que reparte os bens e os dons de Deus (a terra, os alimentos, a renda) a todos os homens e mulheres, resgatando da miséria, da pobreza absoluta, igualando-os em dignidade (dignidade de Filhos de Deus, mas esquecida pela brutalidade dos que outrora, gananciosamente, nos governaram) e em condição social. Voto porque acredito que tal projeto político se coaduna, em parte (pois todo projeto humano é limitado), com o grande Projeto de Deus (todos vivendo em fraternidade), este sim, um Projeto infinito e perfeito.

Por ser cristão-católico, voto em Dilma, continuadora do projeto de Lula, primeira mulher a pleitear com propriedade e possibilidade o cargo político máximo de direção da República Brasileira.

Repudio as tentativas de abusar da religião, espalhando mentiras e preconceitos, para fazer voltar ao poder o que de pior este país já teve no seu comando: o racismo, a xenofobia, a ganância, a desigualdade social, o desemprego.

O Cristo Ressuscitado conduz todas as pessoas à luz!
Estão usando a internet, os púlpitos de algumas igrejas, os microfones de alguns templos, expelindo mentiras contra Dilma, contra Lula, contra o PT, matando pela hipocrisia a possibilidade do povo brasileiro seguir sua caminhada rumo a libertação econômica, social e política.

Dilma reafirmou no debate da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), realizado em 23 de setembro de 2010, que é contra o aborto. Não há porque continuar enviando e-mails falsos, escrevendo textos odiosos, tentando contrapô-la a temas religiosos.

No dia em que nos encontrarmos definitivamente com Jesus ele nos julgará pela nossa fé e pela nossa prática:
"Estive com fome... e me deste de comer; Estive com sede... e me deste de beber... Estive preso... e foste me visitar."

Nenhum discurso simplista, raivoso, mentiroso, recheado de preconceito nos levará até o Salvador. Tudo que fizermos pela libertação humana e transcendental dos nossos irmãos e irmãs será ao próprio Mestre que o teremos feito.

Não deixemos as campanhas eleitorais da velha direita raivosa, que sempre mandou e desmandou no Brasil sem impedir o aborto ou a miséria, mas que esteve fora do poder durante o período Lula, nos alienar e nos manipular.

O projeto de Dilma, assim como os dos demais candidatos, é um projeto humano, falível, discutível. Mas me parece o mais apropriado para o momento do Brasil.

O Projeto de Deus, este sim, é infalível. Sou católico. Voto em Dilma para Presidente do Brasil.

2 comentários:

JAIR BASTOS disse...

Olá, Levon. Acompanho sempre seu blog e parabenizo pelo trabalho e pela dedicação. Sobre a tremenda confusão armada envolvendo a Igreja Católica e os candidatos à Presidência, comungo da sua opinião. Enviei uma mensagem a Canção Nova sobre algumas declarações, do Padre José Augusto e do Padre Paulo Ricardo, mas ainda não obtive resposta. Ao que parece, a princípio, alguns têm considerados os cristãos como figuras incapazes de discernir sobre suas escolhas políticas e que há somente um candidato a ser escolhido. Fiquei extremamente indignado ao saber que seria excomungado se votasse em Dilma! Indignação esta que me faz rever muitos conceitos e fazer analogias das ações da igreja no período medieval. Lembro-me que a igreja humana cometeu inúmeros erros pelos quais pediu perdão tempos depois. Entendo que estas declarações estejam nesse escopo. Sem mais prolongar, sei que assumo, e não de forma solitária, esta responsabilidade de escolher Dilma para presidente e participar da construção de um país mais justo, mais digno e mais humano. Pelo menos foi isso que aprendi com os ensinamentos de Jesus. Grande abraço e muita paz.

Jair Bastos
opequizeiro.com.br

ana paula gonçalves pereira disse...

Mto sensato o seu comentário, também sou católica e pratico a minha fé com liberdade. Voto em Dilma e discordo da postura de muitos a frente da igreja em defesa do PSDB. O uso da religião para persuadir. Parabéns pelo texto.