segunda-feira, 17 de maio de 2010

Encontro com os jovens do Covão (Taiobeiras)

A convite de Jurailde Ferreira de Souza, coordenadora da Pastoral da Crisma (área rural) da Paróquia São Sebastião de Taiobeiras (MG), estive monitorando o tema "Santíssima Trindade", juntamente com outras pessoas que trabalharam temas diversos, junto a um grupo de crismandos da Comunidade Eclesial de Base "Santa Clara de Assis" (Comunidade Rural de Covão), situada a cerca de 25 Km de distância da sede (Taiobeiras), próxima da divisa com o município de Curral de Dentro (Diocese de Araçuaí).

Veja algumas fotos:


Jovens crismandos, tocando e cantando, animação e formação. >



< Sob o sol forte do cerrado, fazendo uma experiência da Trindade (a melhor comunidade): o sol nos dá luzcalor Os três são distintos, porém inseparáveis, sendo essencialmente a mesma coisa. Assim é a Trindade: o Pai criador nos envia o Filho salvador, que nos doa o Espírito de amor.



Igreja de Santa Clara de Assis, Comunidade de Covão, Paróquia de São Sebastião, Município de Taiobeiras (MG), Arquidiocese de Montes Claros (MG). >


> Vista de dentro da Igreja de Santa Clara de Assis, Comunidade de Covão, para o mastro e a bandeira da Padoreira, erguido pelo povo, em agosto de 2009.

A formação para os jovens revela uma porta e um caminho abertos para um futuro de mais amor e justiça.

5 comentários:

Pastor Ivan disse...

Ué Levon! Fiquei chocado, nunca imaginei que alguém como você, com formação universitária, professor de História, defendendo um dos dogmas mais absurdos da Igreja. Para quem tem conhecimento mínimo da História Cristã sabe que a trindade não era crença dos primitivos cristãos mas que foi construída historicamente através de concílios e mais concílios, hoje ela faz mais parte da tradição do que da Palavra de Deus. Basta ver que o Próprio Cristo declarou que 'O Pai era maior do que ele' (São João 14, 28)O Pai sabe o dia do fim, o Filho e o Espírito Santo não (São Mateus 24, 36) se fossem parte de uma Trindade teriam os mesmos conhecimentos do Pai e assim, saberiam. Cristo foi criado (Colossenses 1, 15 - Provébios 8, 22 a 31),já o Pai não teve princípio. A Própria expressão "Pai" em contraste com "Filho" nos dá idéia de pessoas distintas diferentes, e não iguais. Se Cristo fosse parte de uma Trindade ele se refereria ao Pai como "Irmão Gêmeo" e não como "Pai".

The New Encyclopædia Britannica diz: “Nem a palavra Trindade, nem a doutrina explícita, como tal, aparecem no Novo Testamento, e nem Jesus ou seus seguidores tencionaram contradizer o Shema do Velho Testamento: ‘Ouve, ó Israel: O Senhor, nosso Deus, é um só Senhor’ (Deut. 6:4). . . . A doutrina desenvolveu-se gradualmente com o decorrer dos séculos, enfrentando muitas controvérsias. . . . Por volta do fim do 4.° século . . . a doutrina da Trindade tomou substancialmente a forma que desde então tem conservado.” — (1976), Micropædia, Vol. X, p. 126.
A New Catholic Encyclopedia diz: “A formulação de ‘um só Deus em três Pessoas’ não foi solidamente estabelecida, de certo não plenamente assimilada na vida cristã e na sua profissão de fé, antes do fim do 4.° século. Mas, é precisamente esta formulação que tem a primeira reivindicação ao título o dogma da Trindade. Entre os Pais Apostólicos, não havia nada, nem mesmo remotamente, que se aproximasse de tal mentalidade ou perspectiva.” — (1967), Vol. XIV, p. 299.
Em The Encyclopedia Americana lemos: “O cristianismo derivou-se do judaísmo, e o judaísmo era estritamente unitário [cria que Deus é uma só pessoa]. O caminho que levou de Jerusalém a Nicéia dificilmente foi em linha reta. O trinitarismo do quarto século de forma alguma refletiu com exatidão o primitivo ensino cristão sobre a natureza de Deus; foi, ao contrário, um desvio deste ensinamento.” — (1956), Vol. XXVII, p. 294L.
Segundo o Nouveau Dictionnaire Universel: “A trindade platônica, que em si é meramente um rearranjo de trindades mais antigas, que remontam aos povos anteriores, parece ser a trindade filosófica racional de atributos que deram origem às três hipóstases ou pessoas divinas ensinadas pelas igrejas cristãs. . . . O conceito deste filósofo grego [Platão, do 4.° século AEC] sobre a trindade divina . . . pode ser encontrado em todas as religiões [pagãs] antigas.” — (Paris, 1865-1870), editado por M. Lachâtre, Vol. 2, p. 1467.
O jesuíta John L. McKenzie, no seu Dictionary of the Bible, diz: “A trindade de pessoas dentro da unidade de natureza é definida em termos de ‘pessoa’ e de ‘natureza’, que são termos filosóficos gr[egos]; na realidade, esses termos não aparecem na Bíblia. As definições trinitárias surgiram em resultado de longas controvérsias, em que estes termos e outros, tais como ‘essência’ e ‘substância’, foram erroneamente aplicados a Deus por alguns teólogos.” — (Nova Iorque, 1965), p. 899.

Pastor Ivan disse...

Mar. 13:32, ALA: “A respeito daquele dia ou da hora ninguém sabe; nem os anjos no céu, nem o Filho, senão somente o Pai.” (Naturalmente, não seria assim se o Pai, o Filho e o Espírito Santo fossem coiguais em um só Deus. E se, conforme alguns sugerem, o Filho estivesse impedido de saber, em razão de sua natureza humana, surge a pergunta: Por que é que o Espírito Santo não sabe?)
Mat. 20:20-23, IBB: “A mãe dos filhos de Zebedeu . . . [disse a Jesus]: Concede que estes meus dois filhos se sentem, um à tua direita e outro à tua esquerda, no teu reino. Jesus, porém, replicou: . . . O meu cálice certamente haveis de beber; mas o sentar-se à minha direita e à minha esquerda, não me pertence concedê-lo; mas isso é para aqueles para quem está preparado por meu Pai.” (Quão estranho, se, segundo se afirma, Jesus é Deus! Estava Jesus respondendo aqui meramente segundo a sua “natureza humana”? Se, segundo dizem os trinitários, Jesus era realmente “Deus-homem” — ambos, isto é, Deus e homem, não um ou outro — seria, na verdade, lógico recorrer ele a tal explicação? Não mostra Mateus 20:23, ao contrário, que o Filho não é igual ao Pai, que o Pai reservou para si certas prerrogativas?)
Mat. 12:31, 32, ALA: “Todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada. Se alguém proferir alguma palavra contra o Filho do homem ser-lhe-á isso perdoado; mas se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será isso perdoado, nem neste mundo nem no porvir.” (Se o Espírito Santo fosse uma pessoa e fosse Deus, este texto estaria contradizendo terminantemente a doutrina da Trindade, pois significaria de alguma forma que o Espírito Santo é maior do que o Filho. Ao invés, o que Jesus disse mostra que o Pai, de quem é o “Espírito”, é maior do que Jesus, o Filho do homem.)
João 14:28, ALA: “[Jesus disse:] Se me amásseis, alegrar-vos-íeis de que eu vá para o Pai, pois o Pai é maior do que eu.”
1 Cor. 11:3, ALA: “Quero . . . que saibais ser Cristo o cabeça de todo homem, e o homem o cabeça da mulher, e Deus o cabeça de Cristo.” (Claramente, pois, Cristo não é Deus, e Deus é superior a Cristo. Deve-se notar que isto foi escrito em cerca de 55 EC, uns 22 anos depois de Jesus voltar ao céu. Portanto, a verdade expressa aqui aplica-se à relação de Deus e de Cristo nos céus.)

Pastor Ivan disse...

1 Cor. 15:27, 28, ALA: “Todas as cousas [Deus] sujeitou debaixo dos seus pés [de Jesus]. E quando diz que todas as cousas lhe estão sujeitas, certamente exclui aquele que tudo lhe subordinou. Quando, porém, todas as cousas lhe estiverem sujeitas, então o próprio Filho também se sujeitará àquele que todas as cousas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos.”
Tanto a palavra hebraica Shad·daí como a palavra grega Pan·to·krá·tor são traduzidas “Todo-poderoso”. Ambas as palavras no idioma original são repetidamente aplicadas a Jeová, o Pai. (Êxo. 6:3; Rev. 19:6) Nenhuma dessas expressões é jamais aplicada, quer ao Filho, quer ao espírito santo.

*** rs p. 403 pars. 2-4 Trindade ***
Jesus disse em oração: “Pai, . . . a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.” (João 17:1-3, ALA; grifo acrescentado.) (A maioria das traduções usa aqui a expressão “o único Deus verdadeiro” com referência ao Pai. NE reza “que somente tu és verdadeiramente Deus”. Pode alguém ser “o único Deus verdadeiro”, “somente [ele ser] verdadeiramente Deus”, se houver mais dois outros que são Deus no mesmo grau que ele? Quaisquer outros referidos por “deuses” devem ser ou falsos ou meramente um reflexo do verdadeiro Deus.)
1 Cor. 8:5, 6, ALA: “Ainda que há também alguns que se chamem deuses, quer no céu, ou sobre a terra, como há muitos deuses e muitos senhores, todavia, para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as cousas e para quem existimos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as cousas, e nós também por ele.” (Aqui o Pai é apresentado como o “um só Deus” dos cristãos e como estando numa classe distinta de Jesus Cristo.)
1 Ped. 1:3, ALA: “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo.” (Repetidas vezes, mesmo após a ascensão de Jesus aos céus, as Escrituras se referem ao Pai como “o Deus” de Jesus Cristo. Em João 20:17, após a ressurreição de Jesus, ele próprio falou a respeito do Pai como “meu Deus”. Mais tarde, quando estava no céu, segundo registrado em Apocalipse3:12, ele usou novamente a mesma expressão. Mas nunca se diz na Bíblia que o Pai se refira ao Filho como “meu Deus”, tampouco o Pai ou o Filho se referem ao espírito santo como “meu Deus”.)

A Bíblia é clara em mostrar a verdade sobre Deus, a História é clara em mostrar a trindade como crença de origem pagã, inserida muito posteriormente no cristianismo. Levon, seja sincero, fazendo uma análise bíblica e histórica, acredita mesmo no dogma da Trindade?

Levon disse...

Caro Pastor Ivan,

Agradeço sua participação. Continue sempre a opinar. Isto é muito importante e o espaço aqui é democrático. Não tenho objeção à crítica ou à discordância, desde que respeitosas, como foram os seus comentários.

Não criei este blog para fazer discussão religiosa ou teológica. Tenho crença religiosa. Não sou teólogo.

A minha formação universitária é em Ciências Sociais. Geralmente não recorro a ela para balizar minha crença religiosa. Se o fizesse, talvez nem seria religioso. Como o senhor sabe, um dos pais fundadores da sociologia e da moderna ciência histórica, o alemão Karl Marx, era ateu e suas teorias conceituavam religião como "fantasmagoria da mente humana". Nisto, não concordo com Marx.

Creio no Deus da Vida. E o rosto de Deus que me (a nós todos) foi revelado é o de Jesus (o Cristo), por meio do Espírito Santo. E Jesus disse o seguinte: "... Faz quanto tempo que estou no meio de vocês, e você ainda não me conhece, Filipe? Quem me viu, viu o Pai. Como é que você diz: 'Mostra-nos o Pai'?".

Quanto à sua última pergunta, reafirmo que sempre prego aquilo no qual acredito.

Um abraço.

vanessa disse...

Oi levon , aqui é vanessa : gostei muito dos ganhadores , terem a coragem e competencia de jogar com outros estudantes q são muito bons !!" as irmas do xadrez" jogam muito bem e acho legal ela representarem a nossa escola no JEMG ... espero q Taiobeiras seja bem representada nas outras cidades um dia...
Um abraço
de sua aluna.