sexta-feira, 13 de abril de 2012

História de Taiobeiras: a Matriz de S. Sebastião


Histórico
A Paróquia São Sebastião de Taiobeiras foi criada em 20 de maio de 1935. Setenta e cinco anos atrás. A antiga capela de São Sebastião situada no lugar onde hoje é a Praça Joaquim Teixeira, nos fundos do Mercado Municipal, tornou-se a primeira matriz paroquial. Era uma igreja bem pequena, já naquela época, o que motivou os católicos do distrito de Taiobeiras (pertencente ao município de Salinas) a iniciar os esforços para a construção de uma nova e maior.

Frei Jucundiano de Kok (Frei Juca) chegou em 16 de agosto de 1940. Era coadjutor dos frades de Salinas, que respondiam pela administração da recém-criada paróquia. Anos mais tarde se tornaria o primeiro Pároco de Taiobeiras. Somou-se aos esforços da comunidade e iniciou a construção do novo templo. Foram oito anos de muito trabalho,  nos quais Frei Juca e os leigos, com recursos da Holanda e do próprio povo, projetaram, construíram e inauguraram o novo templo-matriz de São Sebastião de Taiobeiras. A celebração eucarística de inauguração ocorreu em 29 de junho de 1948*, presidida por Dom Antônio de Almeida Morais Júnior, Bispo Diocesano de Montes Claros.

Embora Frei Jucundiano estivesse em Taiobeiras desde 1940, participando ativamente da construção da Matriz, ele somente tomou posse como primeiro Pároco em 1º de janeiro de 1953. Naquele mesmo ano, em 12 de dezembro, o distrito foi emancipado. A instalação do município ocorreu em 1º de janeiro de 1954. Frei Juca permanceu como Pároco até 27 de julho de 1974, quando faleceu. Durante este tempo, foi várias vezes à Holanda, seu país natal, em férias.

Centro da Vida e da Fé de um Povo
A Igreja Matriz, na Praça que leva o seu nome, tornou-se o centro espiritual, social, cultural e arquitetônico da nascente cidade de Taiobeiras. Missas, batizados, casamentos e a evangelização do Povo de Deus passaram a ter nela o seu lugar central e privilegiado. Um templo grande para a época, visionário e aconchegante, como devem ser as casas de oração e de reflexão dos cristãos e das cristãs.

Na década de 1980 a Praça da Matriz foi definitivamente urbanizada, valorizando ainda mais o entorno da igreja. Na mesma época uma estátua de Frei Jucundiano foi ali erguida em sua homenagem.

Taiobeiras cresceu e a  Matriz de São Sebastião tornou-se pequena. Novas comunidades eclesiais se formaram na cidade e no campo. Mesmo assim, ela continua como o coração pulsante e afetivo da fé católica taiobeirense.

Pastoreio
De sua inauguração até os dias de hoje, a Matriz recebeu todos os párocos de Taiobeiras e arce(bispos) de Montes Claros. Foi nela que as Irmãs da Divina Providência foram recepcionadas em 1991, quando iniciaram sua missão em nossa Paróquia.Também lá, em 2005, elas se despediram da paróquia. Nela foi ordenado padre o missionário redentorista Vilmar Corrêa (1991), natural de Taiobeiras. Também foi na Matriz, em momentos de forte dor e emoção, que os fieis velaram Frei Jucundiano (1974) e Frei Salésio (1995).

A celebração de despedida dos franciscanos (2007), que evangelizaram Taiobeiras por setenta e dois anos, também teve lugar na Matriz. Foi uma das primeiras igrejas da Arquidiocese de Montes Claros a ser visitada pelo então arcebispo nomeado, Dom José Alberto Moura, em 18 de fevereiro de 2007, durante a posse do primeiro pároco diocesano da paróquia.

Aliás, a vida do povo de Taiobeiras, marcada pelos sacramentos, pelos momentos de tristeza e de alegria, pela reconciliação e pela missão, teve sempre vez e espaço na Igreja Matriz de São Sebastião, como nos eventos de 1º de Maio, do Grito dos Excluídos e do Dia Nacional da Juventude.

Nela, ou na praça em que se localiza, todos os Prefeitos e Prefeita de Taiobeiras, tomaram posse do Executivo Municipal após participarem da Celebração da Eucaristia.

Reformas
Várias reformas já ocorreram na Matriz. A mais profunda aconteceu entre 1985-86.

Na atual (2009-10), a idéia consensual foi a de que era necessário cuidar da Casa de Deus sem desfigurar a cultura e a memória histórica do povo. Decidiu-se fazer uma campanha de arrecadação que contasse efetivamente com a participação dos cristãos-católicos, bem como de toda a sociedade, para o empreendimento de uma reforma que não alterasse as características fundamentais da Igreja Matriz de São Sebastião de Taiobeiras.

É verdade que a cidade cresceu. Por isso, após este grande esforço de revitalização, novas ações para a criação de outras comunidades e construção de novos templos devem ser retomadas para a difusão do Evangelho de Jesus Cristo.

Fontes
ARQUIDIOCESE DE MONTES CLAROS. http://www.arquimoc.org.br/textos.php?id=32. Acesso em 18 de março de 2010.
MIRANDA, Avay. Taiobeiras: seus fatos históricos. Brasília, Thesaurus, 1997.
NASCIMENTO, Levon. Palavras da caminhada: superando a falta de memória pública com artigos e ensaios. Belo Horizonte: O Lutador, 2006.

Observação
* O livro "Taiobeiras: seus fatos históricos" volume II, do escritor taiobeirense Avay Miranda, informa a data de 29.06.1948 como da inauguração da Matriz na presença do Bispo de Montes Claros, Dom Antônio de Almeida Morais Júnior. No entanto, há contradição com a data de nomeação do referido Bispo que, conforme matéria do site da Arquidiocese de Montes Claros, http://www.arquimoc.org.br/, somente ocorreria a 02.10.1948. Portanto, carece de maior detalhamento e pesquisa em outras fontes.

Nenhum comentário: