quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Boca no trombone 2

A população da Rua Lambari e imediações, no Bairro Sagrada Família em Taiobeiras, está a mais de um ano convivendo com uma grande vala a céu-aberto, construída em caráter “provisório” pela Prefeitura para escoamento de águas das chuvas.

O problema é que de provisória a vala se tornou permanente, impedindo o trânsito de veículos e ameaçando a segurança dos moradores, especialmente das crianças.

Algumas casas estão isoladas. Nenhum veículo pode se aproximar delas.

Também os muros ficam muito próximos do buraco, podendo desabar se houver chuva forte e enxurrada.

O lixo é outro problema, acumulando-se no interior do canal, fazendo proliferar insetos e roedores e podendo vir a provocar doenças nas pessoas.

Para transitar de uma rua a outra, os moradores improvisaram uma pequena ponte de madeiras roliças, no estilo “pinguela”, produzindo uma cena grotesca que a muito não se via em Taiobeiras.

Os moradores reclamam com razão do esquecimento da Prefeitura em relação a eles. Afirmam que obras de caráter estético (embelezamento) foram priorizadas, deixando de lado um problema de segurança e saúde pública em segundo plano, porque suas casas estão situadas em uma área sem grande visibilidade pelo restante da população da cidade.

Meu comentário:

Embelezar a cidade é bom e necessário. Mas em primeiro plano deve vir o bem estar das pessoas, especialmente das que vivem nos locais mais afastados e/ou menos seguros da cidade.

Nenhum comentário: